Tecnologia

7 fatos sobre celular que nem todo mundo conhece

Eles podem alterar seu sono e, no Japão, possuem funcionalidades exclusivas.

Em pouco menos de uma década, os celulares deixaram de ser meros aparelhos de comunicação para se tornarem parte da vida das pessoas. Com tanta história em tão pouco tempo, algumas curiosidades sobre celular podem passar despercebidas.

Principalmente para as gerações mais novas, imaginar que os antigos celulares eram do tamanho de um notebook, apelidados “tijolões”, é algo difícil. Neste post, você vai conhecer sete fatos sobre celular que nem todo mundo conhece. Acompanhe!

  1. Celular pode alterar o sono

Este é um fato comprovado, e muitos especialistas em sono recomendam deixar o celular de lado na hora de dormir. Isso acontece por dois motivos: primeiro, pela própria distração causada pela interação com as telas, que não deixa o corpo relaxar totalmente.

Segundo que a frequência de luz emitida pelas telas é predominantemente azul, idêntica aos raios solares (junção do espectro de cores). Portanto, a tendência é que o corpo entenda isso como iluminação do dia, sem conseguir produzir o hormônio melatonina, responsável pelo sono.

Para ajudar nisso, hoje, a grande maioria dos celulares possui o Modo Sono, que deixa a tela amarelo-alaranjada, além de reduzir as notificações durante o horário em que você costuma dormir.

  1. Primeiro celular vendido custava $4 mil

Vendido em 1983, o primeiro aparelho celular foi produzido pela Motorola, pesava cerca de 700g e mal cabia na mão. Apelidado de “the brick”, que, no Brasil, popularizou-se como tijolão, ele manteve-se até meados da década de 90, principalmente no ambiente executivo.

  1. Celulares tinham design superdiferente nos anos 2000

Se, hoje, as telas infinitas e as carcaças premium arrancam suspiros de entusiastas de tecnologia em todo o mundo, até 2010, ano em que os smartphones começaram a despontar, os celulares tinham formatos bem inusitados. 

Exemplo disso eram os aparelhos da Sony Ericsson, empresa que tinha uma linha exclusiva para apaixonados por música, oferecendo celulares giratórios, deslizantes e até com LEDs nas laterais, em diferentes cores.

A Samsung também teve sua participação nessa moda: o modelo SGH-X830 lembrava um iPod mais esticado, com um teclado numérico em duas colunas apenas. O LG Chocolight inovou ao conter botões sensíveis ao toque, introduzindo a tecnologia que seria predominante nos aparelhos futuros.

  1. Função dos celulares mudou bastante com o tempo

Se, antes, basicamente, os celulares serviam para realizar ligações e trocar textos via SMS, hoje, eles assumiram um papel fundamental na rotina das pessoas. Seja pelos apps de mensagens, chamadas de vídeo ou redes sociais, muita gente não vive sem um smartphone.

Atualmente, conjunto de câmeras potentes, capacidade máxima de armazenamento e bastante memória RAM é o que contam na hora de definir um bom aparelho. Para se ter uma noção, enquanto, nos anos 2000, os celulares possuíam câmera VGA, agora, eles substituem facilmente câmeras profissionais.

Até 2010, os smartphones tinham entre 512 MB e 1 GB de memória RAM. No presente, são encontrados com até 16 GB de memória RAM, muito superiores aos melhores computadores existentes no mercado.

  1. Brasil tem mais aparelhos celulares que habitantes

Até 2020, o Brasil registrou 234 milhões de celulares ativos. Isso é bem surpreendente se levarmos em conta que a população do país é de 200 milhões de habitantes. Isso se explica, em parte, por quem possui mais de um aparelho. 

  1. Cerca de 99% dos vírus para celular afetam somente o sistema Android 

Desenvolvido pelo Google, o sistema operacional Android é o mais usado no mundo: 2,5 bilhões de aparelhos, segundo pesquisa da IDC em 2018. Isso chama a atenção de hackers e softwares mal-intencionados, que têm mais chances de roubar dados. 

Isso também acontece porque o sistema acaba sendo mais aberto que os demais, o que permite uma personalização de acordo com cada fabricante, porém, o deixa vulnerável.

  1. Mais de 90% dos aparelhos são à prova d’água no Japão

Existe uma explicação para este dado. No Japão, raramente, as pessoas largam os celulares, inclusive, na hora do banho. Isso motivou os fabricantes a acrescentarem proteção contra líquidos na maioria dos aparelhos. O motivo é inusitado, mas bem que todo celular podia ter essa característica não é mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *